fbpx

GUSTAVO CARVALHO- “DEDICAÇÃO TOTAL AO OFÍCIO PARA SER EXCELENTE”

1) Conte-nos um pouco sobre sua história, onde nasceu, onde mora, etc.
Eu nasci no Rio de Janeiro, moro atualmente em Ouro Fino-MG.

2) Como iniciou sua carreira na música e no contrabaixo?
A música sempre me encantou de uma forma muito especial. Minha mãe adorava ouvir música o dia inteiro, aquilo movia e alimentava a sua alma de alegria.  O repertório era maravilhoso (jazz/ Blues eram a sua preferência) Ray Charles ouvíamos sempre. Quando fiz 10 anos fui morar em Corumbá (Mato Grosso do Sul). Lá tive a oportunidade de acompanhar serestas com os amigos, e o primeiro contato com o violão.
Dois anos depois fomos morar nos Estados Unidos. No dia que cheguei na minha cidade, fui ao meu primeiro concerto (The Who), e me encantei com o baixo do Jonh Entwistle.
Pouco tempo depois comprei meu primeiro baixo (Gibson Lespaul recording). Nessa época tive a oportunidade de ficar amigo da grande baixista Cláudia Niemeyer, ministrando aulas maravilhosas e me levando a grandes concertos. Quando fomos assistir Stanley Clarke (turnê School days), pirei de vez e decidi ser um baixista para toda minha vida.

3)Quais os principais trabalhos na área musical que fez e faz atualmente?
Os principais trabalhos são os meus três discos solo – Arquipélago/ Tons do Mar e 333 Graus que lancei recentemente, disponíveis em todas plataformas digitais. Tive uma banda Toque de Midas, gravamos três discos, todos muito importantes. O segundo foi indicado ao Prêmio Sharp como melhor banda Pop Rock ao lado dos Paralamas e Titãs.

Já tenho uma longa carreira como produtor musical. Produzi alguns discos e adoro todos. Recentemente estou produzindo um tributo ao Gonzaguinha pela cantora Bella Guima. Acabaram de ser lançado os discos Fora da Lei do Alexandre Zamat e Alma Lavada, do Patronagens Band., produzidos por mim.  Temos um estúdio e o meu sócio Zenrik Barbosa (Vinil estúdio aqui em Ouro Fino), é também meu parceiro na banda de Pop reggae SULSOUTH,com um disco gravado no  Vinil, o qual produzi também.

O meu disco 333 Graus foi todo gravado no Vinil, com participações de grandes músicos brasileiros, indianos e Canadenses.  Já havia começado a turnê do 333 Graus esse ano, porém foi interrompida pela epidemia.
Inclusive nessa tour estava programado um Festival na India (333 Graus tem uma música em parceria com os indianos Harshvardhan Gadhvi e Shraddaha Gadhvi – a música chama-se YAAD com video no youtube filmado aqui em Ouro Fino e na India) em novembro e muitos outros, todos adiados sem previsão de novas datas. Como side-man acompanho o Vocalista e guitarrista Elder Costa.

3) Quais suas maiores influências musicais?
As minhas influências são muitas, mas vamos resumir: Miles Davis, Stanley Clarke, Jaco Pastorius, James Jamerson, Nico Assumpção, Bootsy Collins, Marcus Miller, Ron Carter, Charles Mingus, Milton Nascimento, Tom Jobim, Beatles, Rolling Stones, Yes, The Who, Caetano Veloso e muitos outros. A lista seria grande demais.

4) Que habilidades um bom baixista deve desenvolver?
Em primeiro lugar o Groove. Aprender e desenvolver suas levadas na música, somando, dando cara e personalidade. Solos e improvisações vem depois de muito estudo e vivência musical.

5) Qual o seu setup?
Meus baixos: Sukop 6 cordas/ Music Man Sting ray 4 cordas) Gibson Lespaul recording fretless/ Baixolão  takamine 4 cordas. Caixas SWR 4 de dez /1 de doze/ JBL de 15. Amplificador Gallen Krueger 800 RB. Pedais- Mu-tron III, Chorus e oitavador Aguilar. Reverb boss, afinador fender, Pog octave electro harmonix.

6) Como você vê a iniciativa do Toque Mais Baixo, no ensino online do
contrabaixo?

Eu acho maravilhoso o trabalho do meu amigo Raphael du Valle, o qual foi pioneiro no desenvolvimento de cursos online no Toque Mais Baixo, ajudando a milhares de baixista pelo mundo afora a desenvolver seus estudos com um método excelente.

7) Que dicas você daria aos baixistas que querem tocar profissionalmente?
Ouvir mais do que tocar!! Quero dizer contribuir para música mesmo que seja apenas uma nota, dedicação total ao ofício. Responsabilidade com horário, dominar o máximo o repertório que você irá tocar. Na área de gravação manter seus instrumentos prontos para gravar, respeitar sempre o produtor e seguir suas orientações. E principalmente ser humilde, nunca deixando o ego tomar conta e fechar as portas.

*Imagens gentilmente cedidas pela Produtora Solange Rocco.

Por Vilma Souza

Aluna e Colaboradora do ToqueMaisBaixo

Baixista, criador do ToqueMaisBaixo e empreendedor musical.

Dúvidas? Deixe uma pergunta para o professor!