Você é um baixista teórico sem vivências?

Cada dia mais estamos imersos em nossas bolhas, cercados de tecnologias e isso é tentador e muitas vezes até nos dá a sensação de “segurança”. Quem não se sente o melhor baixista do mundo tocando em seu próprio quarto? 🙂

Agora, será que essa ideia de ficarmos em nossas bolhas particulares nos levarão de fato a nos tornarmos grandes baixistas? Será que esse modelo de mundo nos ajudará a realmente saborear o que a música pode nos proporcionar?

A pergunta do título desse artigo é uma provocação nesse sentido: baixista teórico sem vivências?

Sim. É muito fácil cairmos na armadilha de tocar um lick bonito no nosso baixo, dentro do nosso quarto, sozinhos, e achar que estamos arrasando!

Não estou jogando contra o fato de que, na maioria do tempo, estamos sozinhos mesmo, estudando nosso instrumento e isso faz parte do processo. Agora, o que quero trazer a tona aqui, é que existe um mundo la fora cheio de oportunidades e experiências incríveis.

Melhor não seria tocar o lick maravilhoso no quarto e imediatamente sair e tocar com seus amigos? Levar a sua música pra outros ouvidos e também ouvir outros sons, vindo de outros lugares, outros músicos?

É muito pouco ficar preso em sua bolha. Pense que tudo que está estudando pode ser compartilhado com outros músicos. Pode ser usado para contribuir com outras músicas, outros trabalhos.

E podemos ir além! O friozinho na barriga de quem sobe no palco é algo que mantém o músico vivo. A vivência com outros músicos é que faz a roda girar.

Não pense duas vezes em sair correndo agora e interagir com seres humanos de verdade.

Está com medo? Com vergonha? Que bom! Sinal que você é também um ser humano e tem sentimentos.

Que tal converter esses sentimentos em música? Em grooves? Em solos? Em canções?

De um modo geral, use as teorias como meio e não como um fim. Use os conhecimentos teóricos como uma ponte que vai te levar do outro lado do rio onde, uma vez do outro lado, poderá vivenciar a vida. Lá do outro lado, talvez nem se lembre das teorias. Você estará tão imerso e encantando com a música, com os sons, que não conseguirá pensar em mais nada. Lá você apenas será um com os sons.

E aí? Vai dar essa chance pra você? Vai realmente se aventurar com todas as possibilidades sonoras possíveis?

Ah, não se esqueça também que a música une as pessoas. Quem nunca fez um som ao lado de uma fogueira no inverno? Quem nunca cantou com seus familiares numa ceia de natal? Quem nunca cantou com os amigos dentro de um carro?

Estude! Estude muito! Mas saia do quarto e aproveite as oportunidades que te esperam la fora!

Desejo ótimas vivências musicais pra você…

Abraços,

Raphael du Valle

 

Baixista, criador do ToqueMaisBaixo e empreendedor musical.

    3 Comentários

  1. Graças a Deus eu saio para tocar quase todos finais de semana. E o melhor,faço free lance com outros musicos e outras duplas. Tamo junto mesmo

Dúvidas? Deixe uma pergunta para o professor!