fbpx

Audrey Anne – DEDICAÇÃO NOS ESTUDOS E AUTOSSUPERAÇÃO SEMPRE

Pesquisas apontam que a Música na infância serve principalmente para progresso de habilidades, não apenas para que as crianças se tornem músicos profissionais, mas também para o aperfeiçoamento pessoal. Por isso é indispensável a colaboração dos pais na expansão da musicalidade nos filhos.

Nossa entrevistada da vez é Audrey Anne de Sousa, estudante, 12 anos, que tem em seu pai, Adriano de Sousa, seu maior exemplo e grande incentivador. Ela nasceu em Jacareí, São Paulo onde mora até hoje. Audrey faz vídeos no YouTube para mostrar seu talento. Um papo descolado com exclusividade para o nosso blog, no mês das mulheres. Confira!!

TMBX: Poderia nos contar como começou sua carreira na música e no contrabaixo?

Audrey: Quando eu tinha 10 anos, meu pai comprou um contrabaixo e quando o vi tocando, chamou muito minha atenção, achei demais aquele instrumento.

 

TMBX: Quais os principais trabalhos na área musical que fez e faz atualmente?

Audrey: Atualmente tenho um canal no YouTube (Audrey Anne Bass) com diversos vídeos feitos em casa, editados pelo meu papai. Faço algumas participações especiais numa banda chamada Bandit’s, na região do Vale do Paraíba. Tenho parceria com a PHX Instrumentos que me presenteou com um contrabaixo específico para meu tamanho, onde fiz vídeos para ajudá-los a divulgar a marca.

 

TMBX: Como é ser criança e mulher-baixista num cenário essencialmente adulto e masculino? Acha que existe preconceito em relação às mulheres? Que desafios você enfrenta?

Audrey: Até o momento não enfrentei nenhum tipo de preconceito, pelo contrário, por ser um cenário inverso, percebo maior repercussão.

TMBX: Quais suas maiores influências na música?

Audrey: Minhas maiores influências musicais são: Bob Marley, AC/DC, Pink Floyd, Iron Maiden, Black Sabath, Queen, Red Hot Chilli Peppers, Charlie Brown, O Rappa, Coldplay e Michael
Jackson.

E os baixistas que admiro são: Roger Waters, Flea, Geddy Lee, Sting, Felipe Andreoli, Champignon, Ana Karina Sebastião e Michael Pipoquinha.

TMBX: Que habilidades uma boa baixista deve desenvolver?

Audrey: Muito treino diário, persistir em músicas difíceis para se superar sempre.

 

TMBX: Como conciliar sua agenda de musicista com suas outras ocupações, como escola, por exemplo?

Audrey: Tenho muita ajuda do meu pai Adriano. Na parte da manhã faço minhas tarefas em casa. No período da tarde vou pra escola, e à noite faço aula de música.

 

TMBX: Qual é o seu setup (instrumentos, ampli, acessórios, etc.)?

Audrey: Hoje tenho 5 contrabaixos, porém nos shows utilizo o contrabaixo da Mendes Luthieria que sou endorse.

Conto também com um fone de ouvido da Edifier, caixa de som da Meteoro, Pedaleira da Zoom, Interface de áudio da Behringer, gravador de áudio da Zoom e câmera Go Pro. E para divulgar meu trabalho, tenho a parceria com a Gutti Palhetas.

TMBX: Como é sua relação com família e amigos? O que eles acham de sua profissão como contrabaixista?

Audrey: Minha família e amigos me apoiam muito. Sou grata por isso que é um dos motivos que me incentiva a tocar.

 

TMBX: O que você acha da iniciativa do ensino de contrabaixo online, como o ToqueMaisBaixo?

Audrey: Quando comecei a tocar, minha ferramenta principal eram os vídeos do YouTube. Não frequentava escolas. Essa iniciativa online é uma ótima alternativa pra correria de hoje em dia. Nos dá a oportunidade de estudar com grandes profissionais que estão distantes, como é o caso do Site Toque Mais Baixo.

 

Por Vilma Souza

Aluna e Colaboradora do ToqueMaisBaixo

 

Baixista, criador do ToqueMaisBaixo e empreendedor musical.

    2 Comentários

  1. março 6, 2019

    Demais, um orgulho para todos nós e um exemplo de talento pra essa nova geração! Parabéns pela entrevista e obrigada pela oportunidade. Abraços!

  2. Muito bom parabéns

Dúvidas? Deixe uma pergunta para o professor!