fbpx

“A COMPOSIÇÃO É A IDENTIDADE DO MÚSICO” – AFIRMA O CONTRABAIXISTA NETO

“Vim parar no Pará e encontrei todo o bem no calor e no amor de Belém….”

Assim o músico João Alexandre descreve numa canção a cidade de Belém no Pará, onde nasceu e mora até hoje, o contrabaixista ANTONIO BARBOSA EVANGELISTA NETO.
Fascinado por música desde sempre, seu pai era músico da noite, e vendo-o se apresentar e tocar, sentiu curiosidade. O primeiro contato de Neto com o contrabaixo aconteceu na igreja. Naquela
época, como já sabia tocar violão e bateria, foi convocado para cobrir ausência de um baixista. Acabou gostando exageradamente do instrumento. Assim, segundo ele, migrou para o mundo dos
graves.

TMBX: Quais os principais trabalhos que fez e faz atualmente?

NETO: O trio instrumental Somos 3, que me exigiu muito como músico. Devido à complexidade das músicas e principalmente por ser um trabalho que exige muito de todos, quando o contrabaixo
sempre fica também como linha de frente. Além desse, alguns outros podem ser ressaltados, como o convite que recebi do maestro Nelson Neves para participar de um concerto no dia do jazz com a orquestra Amazônia Jazz Band, junto aos grandes nomes da música no estado. Além do club do Jazz com o Yuri Guedelha, Tapa Jazz com Kim Freitas, e JJ Jackson, foram trabalhos que jamais esquecerei, uns pela importância musical e outros pela importância pessoal. Trabalho com as empresas das quais sou parceiro como a Solez Strings, Staner, Data Link e a Tagima.

TMBX: Quais suas maiores influências na música?

NETO: Os que considero os grandes compositores, tanto eruditos como populares, ressalto os brasileiros que amo de paixão como: Arthur Maia, Moacir Santos, Egberto, Sebastião Tapajós, Ney
Conceição (baixista conterrâneo), Sergei Prokofiev, Igor Stravinsky, Quincy Jones, Jacob Collier. Também dois baixistas que admiro imensamente com idade aproximada a minha, Felipe Moreno e
Michael Pipoquinha. A lista é imensa, e aqui temos que controlar o coração (risos).

TMBX: Que habilidades um bom baixista deve desenvolver?

NETO: Super conhecer o instrumento em todos os sentidos. Acredito que não só o baixista, mas todo o músico deve compor. Isso, ao meu ver, mostra a identidade de cada músico além de
todas as influências.

TMBX: Que ações empreendedoras você tem desenvolvido em sua carreira?

NETO: Atualmente busco desenvolver o trabalho com o trio Somos 3. Estou iniciando meu primeiro disco, além de projetos de voltar a ministrar aulas.

TMBX: O que você acha da iniciativa do ensino de contrabaixo online, como o ToqueMaisBaixo?

NETO: A educação é muito importante. Conhecer e investir em conhecimento é a única maneira de ser um profissional com excelência. Sempre estudei contrabaixo pela internet, além de ter aulas presenciais de música. Através da internet pude acelerar muitos passos.

 

Por Vilma Souza

Aluna e Colaboradora do ToqueMaisBaixo

 

Baixista, criador do ToqueMaisBaixo e empreendedor musical.

Dúvidas? Deixe uma pergunta para o professor!